sexta-feira, 31 de outubro de 2014


Esse vácuo entre o hoje e as possibilidades do amanhã em que me encontro, por vezes, ganha contornos de autopiedade. Empreender é muito trabalho e pouca grana por um bom período. Usar o pouco desse tempo para tentar um mestrado e, quiçá, uma bolsa, é pedir pra ser sustentada. E, ser sustentada, meus caros e inexistentes leitores, é um grito de dependência humilhante.

quinta-feira, 23 de outubro de 2014


Há uns cinco anos amargo uma inveja repugnante. Quando me percebo sentindo tal coisa, sinto nojo instantâneo de mim mesma. Me faz uma pessoa pior, em contradição ao quanto evolui e progredi na vida por causa do mesmo sentimento.

segunda-feira, 20 de outubro de 2014


E esse masoquismo não vai me levar a lugar algum.

Esse sentimento auto-sabotador que martela na minha cabeça dizendo que provavelmente é tarde demais para tentar melhorar...

sexta-feira, 17 de outubro de 2014


Todas as vezes em que arrisquei algo fora da minha linha de mediocridade, escutei minha mãe repetindo "para a gente (nossa família), tudo é mais difícil. Nunca dá certo quando é a nossa vez". O esforço é sempre duplicado e o resultado, muitas vezes, foi a desistência.

Eu simplesmente não aguento mais sofrer dessa mazela.

sexta-feira, 10 de outubro de 2014


Existe um preço caro na felicidade. É o que se chama de saudade.

Sinto falta dos sentimentos, mas sou incapaz de senti-los novamente.
Sinto apenas a dor de não senti-los mais.

Talvez (voltar a) sentir seja só uma questão de exercício.

Década de 90.


Que desperdício não sentir nada ao escutar uma música que antes vinha embalada em deliciosos e conturbados sentimentos.

segunda-feira, 6 de outubro de 2014


Há algo de anestésico na felicidade que não impele. Que não ajuda a romper o ventre, que não expulsa o que precisa ver o mundo, o que precisa ser livre. Há algo de anestésico na felicidade que deixa quieto, deixa em paz, deixa morrer em silêncio, apodrece e mata.

É preciso sofrer pra se sentir vivo, às vezes.
Pra sentir que está na hora de dar a luz.